Dois Papas, o filme

Saturday, January 18, 2020

 

Nada como uma 6.ª feira à noite no aconchego duma lareira a ver este filme em família.

Porque simplesmente adorei. Dois Papas é um filme que me cativou e que me fez admirar ainda mais o nosso Papa Francisco e ter uma Ideia um pouco diferente da que teci a Joseph Ratzinger, Bento XVI durante o seu período enquanto Santo Padre.

 

Fernando Meirelles, diretor do filme, discute os bastidores da Igreja em 2012, a partir de um encontro entre o atual e o futuro Papa (Bento XVI e Francisco I). Momentos tão bem captados  sabendo que grande parte deles são retirados de factos reais.

 

 

É-nos transmitida a personalidade de cada um deles. Logo de início acompanhamos a simpatia do futuro Papa Francisco, ainda cardeal Jorge Bergoglio. A sua proximidade com a comunidade carente do seu país-natal, Argentina, com fantásticas imagens de Buenos Aires que tão bem exploram a beleza da América Latina que eu adoro. Acessível, descontraído, informal, apaixonado por futebol e pelo tango, ou seja, um comum mortal como todos nós.

 

Com extrema sensibilidade, o ator Jonathan Pryce é um dos candidatos ao Óscar de Melhor Ator para 2020. Transmite-nos uma personagem adorável, capaz de assobiar Dancing Queen dos Abba, em plena eleição no Vaticano, ou pedir uma fatia de pizza num quiosque assim que chega a Roma.

 

 

Já Bento XVI é totalmente diferente: catedrático, sisudo e autoritário, ambicionando o cargo que ocupa através da política interna do Vaticano. Esta personalidade não o tornou tão amado quanto o seu antecessor, João Paulo II, e ele tem consciência disso. Numa excelente interpretação de Anthony Hopkins, parece-me que não poderia outro ator desempenhar tão bem este papel.

 

Todo o desenrolar deste encontro entre eles é fascinante, já para não falar da beleza do interior do Vaticano, que nem tudo serão estúdios e nos mostra essas maravilhas de arte. 

 

 

As ideias de um, a mensagem do outro…enfim Dois Papas é mesmo um filme a não perder. Momentos sérios, testemunhos duma realidade religiosa e atual, conjugados com situações de humor entre ambos que nos proporcionam gargalhadas ao longo de todo o filme. A música desde Dancing Queen dos Abba, Bella Ciao da série La Casa de Papel  e Blackbird dos Beatles, como ainda Besame Mucho e Guantanamera em homenagem à América Latina, transmite-nos a sensação que algo já nos é familiar e não totalmente um filme desconhecido. O final, esse então, é hilariante e genial.

 

 

Gostei mesmo, sendo capaz de o rever a qualquer momento (e eu que nem tenho esse hábito de ver os filmes mais que uma vez...).

 

Deixo-vos o trailer e logo me contam a vossa Ideia. Beijos, Maria Cristina 

 

 

 

 

Please reload

Posts em Destaque

(Novo) Regresso às aulas

September 15, 2020

1/10
Please reload

Posts Recentes

Tuesday, September 15, 2020

Tuesday, March 24, 2020

Saturday, March 21, 2020

Thursday, March 19, 2020

Tuesday, March 17, 2020

Please reload

Categorias
Please reload

Arquivo
Please reload

    Todos os textos são da autoria e responsabilidade da blogger.

    Seguir nas redes sociais
    Instagram
    • Facebook - White Circle
    • Instagram - White Circle
    • YouTube - White Circle

    © 2020 por MARIA CRISTINA D'OLIVEIRA SALGADO | Portugal