Jerusálem de Gonçalo M. Tavares

Monday, October 3, 2016

 

O outubro está ai. Não vou dizer que com o tempo frio apetece ficar aconchegada no sofá a ler um livro…porque o calor ainda ai está, pelo menos aqui no Algarve, mas mesmo assim à noite já sabe bem ficar por casa com um bom livro na cabeceira.

 

A Cláudia apresenta para este mês um livro que me parece excecional. Fiquei curiosa mesmo.

Jerusalém, de Gonçalo M. Tavares.

 

Trata-se de um livro cujo enredo, as relações entre as personagens e os sentimentos explorados estão bem engendrados pelo autor.

Ninguém fica indiferente à sua escrita e o seu estilo muito próprio consegue, sem dúvida, cativar leitores.

 

Um dia a mãe de Mylia, uma jovem de 18 anos, leva-a ao médico Theodor Busbeck, alegando que a filha vê almas.

O médico apaixona-se por Mylia, talvez como objecto de estudo, contudo passado algum tempo, e dada a impossibilidade de vida em comum, Mylia é internada no hospício Georg Rosenberg. No entanto, esta no Hospício apaixona-se por Ernst, esquizofrénico, de quem tem um filho.

 

Romance que pertence ao Reino (conjunto de romances cujo tema central é o mal), ou conhecidos como os livros pretos.

É um livro sobre os limites da loucura e da razão. Sobre a crença. Vale a pena ler.

 

Gonçalo M. Tavares, escritor português nasceu em 1970. Desde 2001 publicou livros em diferentes géneros literários traduzidos em mais de 50 países.

Cada um dos seus livros é diferente, mas segundo a opinião de González Harbour (Diretora do mais importante suplemento cultural em língua espanhola – O Babelia) "em todos eles as palavras parecem suspensas no tempo e no espaço com a sua própria lógica interior, a sua musicalidade, o seu ar de conto ou lenda, de quem sabe, a cada vez, manejar uma matéria volátil ou sólida."

 

Poderá encontrar esta obra junto de uma biblioteca perto de si…

Cláudia Matos

 

Nem mais, continuo a dizer que me cativaste Cláudia e fiquei com muita vontade de o ler breve, brevemente.

Beijinhos e que esta semana seja muito boa para todas nós.

Maria Cristina